Arquivos da categoria: Dúvidas

Veja aqui as melhores respostas para as principais dúvidas.

Escrito por: Suzy Devoz
17 mai 12

Lista de convidados

Gente são muito interessantes estes artigos da revista Claudia Noivas e podem muito ajudar as noivas com uma grande dor de cabeça que a maioria tem, a lista de convidados, confira.

Foto: Karine Basílio

 

Tiro o meu véu para quem terminar a lista de convidados de primeira. Eu não terminei. Fui escrevendo, riscando, reduzindo, aumentando, apagando… Resumo da ópera: essa etapa demorou meses para ficar pronta. Pudera: eu era a noiva, mas o casamento não era apenas meu, ora, ora. Os familiares de ambos os lados queriam participar e mostrar ao mundo como criaram maravilhosamente bem seus filhos. É muito amor para caber num bufê só!

Se nem o casamento de Kate Middleton, agora Lady Katherine, com o príncipe William ficou alheio a críticas pela ausência de diversas personalidades, por que o nosso escaparia de deixar alguém se sentindo preterido, sem o gostinho de um bem-casado? Alguma noiva se ilude achando que consegue evitar saia justa com os não-convidados? Mesmo se o noivo fosse negociador profissional…

Mesmo assim, Lady Katherine deu sorte. Pois a Michelle Obama e a digníssima esposa do Tony Blair não ficaram chateadas com ela, e sim com a avó dele. Porque, minha cara, montar a lista daqueles que prestigiarão o “sim” de vocês é, de todas as tarefas pré-casório, seguramente a mais ingrata. Em um esforço diplomático sem precedentes, temos que decidir quem vai e quem manterá a roupa de festa no armário, conciliar amigos fofos com conhecidos que precisam ser incluídos por mera formalidade e, ainda, os desejos dos pais de cada noivo. A cada baixa impiedosa, rolam nomes que vão carregar a mágoa do ostracismo social para sempre. Ok, para sempre é muito tempo. Mas a história provavelmente ressurgirá da tumba, de tempos em tempos, só para causar ainda mais desconforto na sua já envergonhada pele.

Descobri que não vivi sozinha esse pesadelo feito de planilhas de Excel. Noivas amigas e conhecidas me relataram que com elas foi a mesma confusão de sentimentos, veja só. Karina, médica do Rio de Janeiro, recentemente se casou e viveu a sua cota de angústia-barra-raiva-barra-desespero. No dia em que voltou, feliz, da gráfica, com exatos 300 convites individuais, ouviu seu pai dizer que convidaria mais 30 pessoas. Pânico instaurado, fez a única coisa que restava: reduzir a lista. Espremendo aqui, apertando acolá, ela acabou incluindo os convivas. E ainda suou frio quando voltou à gráfica. Noiva que é noiva sabe que convites adicionais custam muito mais. “Tive sorte, pois não deu tempo de começar a impressão e consegui fazer a inclusão sem custos”, me contou.

 

Anna, jornalista de São Paulo, de família grande, italiana e estreante no posto de noiva do clã, viu-se diante de exigências impossíveis de atender por parte especialmente da mãe. Resultado: apelou para o distanciamento emocional na hora de montar a sua lista. “Sentei em um café no shopping, longe de casa; e o máximo que minha mãe conseguiu foi reclamar pelo telefone”, relembra. A matriarca, segundo Anna, chorou, rangeu os dentes, fez chantagem emocional. “Deu tão certo que minha irmã mais nova está usando a mesma tática”, diz, rindo. Casada desde 2007, a hoje futura mamãe não se arrepende dos limites colocados. “Admito que fui grosseira algumas vezes, mas era isso ou ter que pagar boca-livre para pessoas com quem não tinha contato nenhum”, pondera.

De casamento marcado para julho de 2012, a engenheira paulistana Patrícia tem uma batata quente assando nas mãos: o próprio pai. “Ele se distanciou de casa há cerca de um ano, depois do divórcio”, revela a noiva. Como a separação não foi exatamente amigável, ela está temerosa do que pode acontecer ao colocar o ex-casal lado a lado ou pôr a mãe no mesmo ambiente dos tios paternos, que deram força para o fim da união. “Sei que todos serão civilizados, mas é uma situação bem desconfortável”, revela.

Falando em desconforto… confesso que eu também já estive do outro lado da moeda. Uma prima que foi convidada para o meu casamento (com o então namorado) simplesmente me deixou de fora da própria celebração. Eu e toda a minha família próxima. Descobri a traição pelo Facebook, onde as fotos do fatídico dia foram expostas sem pudores. Deixei um comentário desaforado e cínico, que recebeu uma resposta padrão igualmente aviltante. E concluí: fui vítima da guilhotina. De cabeça mais fria, alerto: evite os comentários maldosos como o meu e jamais faça promoção do próprio evento nas redes sociais, a menos que todos os amigos e familiares tenham sido convidados.

Qual é o docinho mais saboroso? Que modelo de vestido favorece o meu corpo? Cabelo preso em um coque ou em uma trança? Poxa vida, com tanta coisa para uma noiva decidir (e financiar), ela ainda ganha o título de arrogante e/ou antipática? A resposta é: sim. Sabendo que é impossível agradar a todos, choramos em frente ao espelho e nos braços do noivo que, coitado, já pensa em escapar de fininho mas a verdadeira anfitriã não deve descer do salto. Por isso, quando todos perguntarem quão feliz você está, diga a verdade: que curte demais preparar a maior celebração da sua vida, mas que vai ali ao lado buscar sua jarra de suco de maracujá ou fazer uma massagem relaxante porque, definitivamente, noiva também sofre! E como!

Escrito por: Suzy Devoz
13 mai 12

Abandonados no altar, o barato que sai caro.

Vimos no blog do César do site luxo de festa o seguinte post e queríamos compartilhar por ser algo do interesse de todas as noivas que nos visitam diariamente.

 

Empresa surge no mercado, participa de eventos voltados para noivas, faz um grande barulho, cria uma bela fachada e depois… lesa o consumidor. Nesse caso, um casal de noivos.

Vamos voltar a um ponto básico: mesmo que marinheiros de primeira viagem, os noivos sabem o que é valor de mercado e o que está completamente fora de propósito.

Não existe milagre. Algo muito barato em qualquer ramo levanta suspeitas. Ai estão vários sites de internet dando golpes parecidos em outra linha de produtos.

 

Informação

Vamos aproveitar, noivas, que estão tão antenadas com inúmeras informações nas mãos.

São sites , blogs, revistas, grupos de noivas, redes sociais e eventos específicos que surgem a todo o momento.

Tornem-se mais espertas com relação a esses meteoros do mercado, que eu sempre digo: passam tão rápido que não sabemos de onde surgiram ou esconderam o rabo.

Isso vale para todas as áreas, desde cerimonial, decoração, bolo, doces, fotografia, filmagem, som, luz, DJ , música de cerimônia e por ai vai.

Sem esquecer, é claro, da grande novidade que é a invasão das falsificações chinesas para vestidos de noivas. Essa é grave! Casar com um vestido com etiqueta de estilista famoso e saber depois que comprou uma cópia barata e mal feita na China.

 

Sonho

Sou do inicio disso tudo onde o vestido, a tradição e os profissionais faziam parte do sonho total do casamento. Não adianta querer globalizar um momento tão importante na vida de vocês.

Sou a favor do casamento para 100 pessoas em que você contrata profissionais que vão deixar saudades por terem feito com profissionalismo e carinho parte do sonho da vida de cada casal.

A pesquisa é importante, mas o bom senso tem que estar acima de tudo.

Lendo a matéria, conhecendo o mercado e checando os valores fica visível um golpe ou uma futura falência. Nenhuma empresa consegue se manter aberta honestamente com os tributos do nosso país praticando preços milagrosos.

Lamento pelos casais e espero que sirva de alerta para os próximos.

Mais um detalhe: Novidades vão. Novidades vem. A tradição fica. Opte por ela!

 

E alguns alertas são importantes:

  • Verifique em órgãos do Procon se a empresa acumula reclamações dos clientes
  • Com o CNPJ ou a razão social da empresa em mãos , faça uma pesquisa se ela é idônea no site da Receita Federal (www.receita.fazenda.gov.br)
  • Observe o tempo que a empresa está no mercado
  • Avalie se o preço cobrado pelo serviço ou produto é compatível com a concorrência. Se for muito inferior, pode tratar-se de um golpe
  • Apure com outros clientes se a empresa cumpre os serviços que presta
  • Leia o contrato cuidadosamente e evite surpresas desagradáveis

Escrito por: Suzy Devoz
05 mai 12

Como calcular a bebida do seu casamento

Gente adoramos este artigo que o site Zankyou postou e queremos compartilhar com com vocês.

Organizar uma festa de casamento e não se estressar é possível! Como calcular a bebida da sua festa de casamento? Este é um fator que muita gente não se preocupa, por isso selecionamos algumas dicas para que seu cálculo seja correto.

Para poder calcular a quantidade e o tipo de bebida que melhor se adeque a seu casamento leve em consideração:

• O número de convidados.

• Qual bebida que os convidados mais gostam.

• Se o seu casamento será de dia ou de noite. O consumo por pessoa pode variar dependendo do horário da festa de casamento, geralmente se consomem menos em festas realizadas durante o dia que a noite. Não é uma regra, mas pode ajudar no cálculo. Outro fator é o clima: se tem sol, se está frio e da mesma forma a estação do ano.

• A quantidade de convidados com um perfil mais jovem que estarão presentes na festa. Se a maioria de seus convidados tiver entre 20 à 40 anos, deve-se calcular até 6 taças por pessoa.

Cálculos:

Esta tabela é apenas um direcionamento para que calculem a quantidade de bebida que deverão comprar. Fiquem atentos ao número de convidados que já confirmaram presença através de RSVP.

Tipo de bebida e quantidade

- Whisky: 15 a 20 pessoas por litro
– Vodka: 12 a 15 pessoas por litro
– Vinho Tinto: 6 a 8 pessoas por litro
- Vinho Branco: 7 a 9 pessoas por litro
- Champanhe: 2 a 4 pessoas por litro

Já a cerveja deve ser calculada de acordo com a forma que será servida. Geralmente calcula-se 3 pessoas por uma garrafa de 600ml de cerveja.

• Para calcular drinks ou cocketéis leve em consideração quais drinks estão mais na moda, atualmente Mojitos e as clásssicas caipirinhas e caipiroskas sempre fazem sucesso em festas de casamento.

• As bebidas chamadas de digestivas são “a cereja do bolo” para sua festa, mas nem sempre se oferece, já que a maioria das pessoas preferem café ou chá, após o jantar. Fica a seu critério definir se haverá licores ou não.

Sugestões:

- Comprar as bebidas por consignação, ou seja, em lugares onde se possa devolver as bebidas que não forem consumidas na festa.

- Comprar as bebidas mais caras, como Whisky e Vodkas por exemplo, pouco a pouco. Buscar promoções em lojas especializadas que ofereçam algum pacote ou desconto para casamentos.

- Façam uma lista, em forma de inventário, para saberem a quantidade exata de bebidas que adquiriram para a festa.

- Deixe alinhado com o maitre ou com a cerimonialista para que as bebidas estejam sempre na temperatura ideal, para que não haja desperdício, nem queixas dos convidados.

Escrito por: Suzy Devoz
25 mar 12

Dúvida: Onde vou fazer meu casamento?

Decidiu que vai se casar? Já vem na hora na cabeça, onde? Escolha o estilo de cerimônia que mais pareça com vocês e não deixe que nada fique artificial e não tenha a ver com vocês. Aqui relembrando tipos e lugares para você decidir e deixar todos boquiabertos.

 01. Na praia.

 02. Museu

 03. Igreja

04. Vinícula

05. Teatro

   06. Hotel / Resort

  07. Salão de festas

 08. Celeiro

 09. Jardim

 

10. Em casa / alugando uma casa.